Estás no Sou Nómada: o que é este projeto?

Fevereiro de 2017. O momento em que vim viver para a Califórnia. Já não vivia em Portugal desde 2010, mas a ideia de vir literalmente para o outro lado do mundo deixava-me ansiosa… pelos bons motivos!

A Califórnia sempre foi o estado pelo qual eu tinha mais curiosidade, sobretudo a cidade de São Francisco. No instagram do @sounomada há uns dias partilhei a origem desta minha ansia de conhecer esta cidade:

Em 2010, a Joana Cavalcanti emprestou-me o livro Pela Estrada Fora do Kerouac. Na altura li, gostei e passei à frente – tantos livros bons, não podemos ficar presos à um.

O tempo foi passando, e havia sempre algo que me puxava para as viagens. Todo o tempo que tinha entre a faculdade e o trabalho era usado para me mexer para algum lado.

E eis que mergulhei por curiosidade no movimento da Beat Generation, um movimento literário dos anos 50-60. Voltei a ler o On The Road já em inglês, li o Naked Lunch e o Junkie do Burroughs, o Big Sur do Kerouac que me puxou mais e mais para o imaginário da Califórnia.

Li muito sobre todo o movimento, chegando até a fazer um trabalho na faculdade sobre isso. Equacionei até seguir estudos de literatura americana por causa da Beat Generation.

São Francisco representava assim um destino de sonho. Um destino que foi uma paragem essencial para todos os representantes da Beat, onde encontramos pontos chave como o Vesuvio ou a City Lights Bookstore e onde podemos ver a Jack Kerouac Alley e visitar o Beat Museum, a primeira paragem que fiz em São Francisco em março de 2017. Naquele dia, o dia da minha primeira visita, precisei de ter todo o tempo do mundo para perceber que estava ali.

Quando, durante o ano de 2016, o meu marido me disse que estava a equacionar vir para a Califórnia trabalhar, eu já trabalhava remotamente e já tinha o projeto Nomadismo Digital Portugal.

Podia trabalhar de onde queria, mas a ideia de viver em São Francisco era irreal – os sonhos não são supostamente para se manterem sonhos, ilusões, coisas inalcançáveis?

E não.

Dia 1 de fevereiro de 2017 aterrei de malas e bagagens no aeroporto internacional de São Francisco para chamar esta casa de casa.

No caminho do aeroporto para a casa que o meu marido já tinha arranjado para nós, vi desfilar a região que eu conhecia das conferências que via no YouTube ou dos cenários da série da HBO, Silicon Valley.

Comecei a ver as placas das cidades de San Bruno (onde fica o YouTube), de Redwood City (onde fica o Evernote, e que dá para ver até da auto estrada que liga o aeroporto à cidade onde moro), de Menlo Park (onde fica o Facebook) ou de Mountain View (onde fica o Google).

Caramba, tudo isto é real.

Desde 2017 que tento explicar aos meus amigos e familiares de Portugal o que é viver nesta região.

Como é Silicon Valley.

Como é a rotina diária de quem vive aqui e não tem pressa para visitar tudo.

Como é este local que, não, por enquanto, não troco por mais nenhum.

E eis que surge assim este Sou Nómada renovado, com muitos planos por detrás dele, com esse objetivo: mostrar-te e revelar-te o meu quotidiano aqui em Palo Alto, cidade que fica no coração da Silicon Valley (e é até considerado o seu berço!).

Com a ambição de te transportar um pouco para a minha realidade, vou obrigar-me a sair da minha zona de conforto, enfrentar o meu medo da câmara e gravar mais vídeos. Parar de ser envergonhada perante a lente misteriosa, e tentar transmitir a confiança que me é tão caraterística quando falo com pessoas.

Vou tentar criar conteúdos que te ajudem a entender melhor esta região, o porquê de ela ser ainda tão importante para a tecnologia e para a inovação e vou tentar mostrar-te que este American Dream que eu vivo também pode, ser assim o desejares, ser o teu.

Saíra um conteúdo semanal, tanto no YouTube (segue já o canal clicando aqui, onde podes ver o vídeo de apresentação) como aqui no site. Na barra lateral podes subscrever gratuitamente a newsletter e claro, o campo dos comentários está disponível para todas as tuas sugestões e ideias de temas.

Muito bem vindo ao nosso Sou Nómada.